Blog Agencia Maranhão - Sua Central de Notícias

Acordo do CÃO na Câmara de Codó proposto pelo governo Nagib

O documento assinado por todos os vereadores, com exceção de Júnior Oliveira e Domingos Reis, mostra que a Câmara Municipal tem uma dívida com a Previdência Social (originada do fato de reter a contribuição dos seus servidores e não repassar ao Governo Federal) da ordem de R$ 1.971.514,87.

Foi este valor que a Prefeitura de Codó parcelou na Receita Federal uma vez que a Câmara de Vereadores, diz o documento, NÃO TEM PERSONALIDADE JURÍDICA PARA RESPONDER POR OBRIGAÇÕES TRIBUTÁRIAS.

Foi o governo de Francisco Nagib quem fez este parcelamento e, inimigo político que era do ex-presidente Expedito Carneiro, resolveu descontar R$ 82.146,45 do repasse mensal que a Constituição Federal manda que as prefeituras façam às câmaras.

A justificativa usada à época foi a de que como estava pagando dívida que não era dela, a prefeitura precisa ser compensada de alguma forma.

Este fato foi levado à Justiça por Expedito que venceu na primeira instância, mas nem chegou a acompanhar a briga   em segunda instância, ainda que à base das velhas liminares.

O pepino caiu nas mãos de Leonel Filho que é aliado de Nagib, mas pelo que li do novo acordo, nem parece.

COMO FICOU?

Nagib fez com que a Câmara assinasse uma confissão de dívida reconhecendo como legítimo e legal o bloqueio dos R$ 82.146,45 feito entre janeiro de 2019 a julho de 2020, ou seja, caso isso venha a ser, de novo, objeto de briga judicial, exatamente  R$ 1.560.782,55 (soma de janeiro/2019 a julho/2020) nem mais serão questionados, pois ficou assinada a confissão de dívida e a legalidade da retenção da grana no período.

Em pratos limpos, caso a Câmara ganhasse direito ao retroativo, é este o valor que nunca mais irá  para seus cofres. Sacou?

A Câmara também assinou dizendo que ainda deve à prefeitura R$ 410.732,32.

Na sequência,  o documento diz que entre 20/agosto/2020 e 20/dezembro/2020 (tempo em que termina este mandato tampão de Leonel), de todo o montante repassado mensalmente para a Câmara, chamado de DUODÉCIMO, o governo Nagib bloqueará 20%.

O SAPATO E A B…

No entanto, a cláusula SEXTA diz que no mesmo período (entre agosto e dezembro de 2020), o governo NAGIB vai dar uma colher de chá pra administração de Leonel, Maria Paz, Pastor Max, Rômulo Vasconcelos, Ivan do Naby, Valdec Frota, Iltamar Muniz, Milson da Gabriela, o homem lá da Boa Vista e toda a base de sustentação de seu governo,  na ordem de R$ 15.000,00.

Ou seja, NAGIB, que é aliado de Leonel e da maioria dos vereadores da Casa, VAI DEIXAR de descontar o valor que tirava da administração de seu inimigo Expedito (que era de R$ 82.146,45 mês) e vai descontar agora, do repasse mensal, apenas R$ 67.146,45, isso  até dezembro deste ano.

OU SEJA, na minha opinião, como aliado político não fez NADA.

Em resumo, que me perdoem os mais formais e os hipócritas também, mas neste acordo, do cão, Nagib entrou com o sapato e a Câmara com a bunda.

Responsabilidade fiscal 10, politicamente merda pura, zero.

Com informações de Acélio Trindade

 
Acompanhe o Blog Agência Maranhão pelo Facebook.
Categoria: Política

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*