Blog Agencia Maranhão - Sua Central de Notícias

DESCASO: Avó denuncia que Centro de Partos Normais de Codó não tem médico e que sua neta teve osso quebrado ao nascer

O Centro de Partos Normais de Codó foi inaugurado este mês, mas ficou provado agora que não tem tudo que precisa  para a hora das crianças nascerem – falta um  médico obstetra disponível.

A senhora Ana Francisca do Nascimento Leite, moradora da rua São SEBASTIÃO,  avó,  esteve presente no parto da filha adolescente e depois de uma hora de tentativas chegou a pensar que perderia até a neta, ambas estavam apenas sob os cuidados de enfermeiras.

“O que eu presenciei foi a falta de não ter um médico lá na hora, foi o que me deixou mais triste. Na hora que eu vi que a minha filha mais precisava de um médico não tinha de jeito nenhum. Eu perguntei pras enfermeiras – gente chama o médico, chama um doutor – ela virou pra mim e disse – aqui não tem doutor, eu disse, gente eu não acredito…E JÁ FAZIA UMA HORA DE PARTO? Já fazia mais ou menos uma hora, ela entrou em trabalho de parto era umas duas horas e veio ter neném 3h18min”, nos disse

A bebê teve uma clavícula fraturada, como mostra o exame de raio X. A avó não tem dúvidas sobre em que momento isso teria ocorrido.

 “Eu acho que foi no momento em que elas tavam tentando puxar a criança, porque pra mim  foi puxar, não saiu naturalmente…A SENHORA  PRESENCIOU ISSO? Eu presenciei, elas fizeram foi puxar tão tal que até o braço da criança tinha hematomas”

A família não nos demonstrou interesse, pelo menos neste momento, de procurar a Justiça, mas, sobretudo a avó, indignada denunciou o caso à imprensa com o intuito de que outras mães e bebês não sofram  dentro do Centro de Partos por falta de um tratamento adequado, na hora do parto, com a presença de um médico.

 “Eu não quero que  isso aconteça, mas o que eu vejo é que ali vai acontecer coisa pior (…)  então eu fico com medo de acontecer outra coisa, eu não aconselho ninguém a levar, sua filha, mulher seja o que for pra ganhar neném lá, eu não aconselho porque eu tenho medo. Eu só levei minha filha pra lá porque a enfermeira falou que se precisasse de médico ela chamava”

Nós estivemos no Hospital Geral Municipal em busca de resposta sobre o caso, mas não encontramos que nos respondesse a respeito.

Ainda aguardamos respostas do governo

Fonte: Blog do Acélio

 
Acompanhe o Blog Agência Maranhão pelo Facebook.
Categoria: Cidades

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatório são marcados *

*