Coronavírus
Blog Agencia Maranhão - Sua Central de Notícias

VACINA COVID-19: Enquanto governador Dino rabiscou plano de vacinação, prefeito Braide sai na frente

O governador Flávio Dino andou rabiscando um plano de vacinação contra o covid-19 seguindo as politiquices do governador de São Paulo João “calça apertadinha” Dória… A rabiscada ficou num papel jogada no lixo, mas a crítica dentro da politicalha ficou!!! Aí vem o prefeito de São Luís, Braide, que tomou posse há 13 dias anunciar a vacinação contra o covid-19 dentro das prioridades… Mas que ironia do destino !!!

Vacinação contra covid-19 começa às 10h do dia 20, diz Pazuello a prefeitos

O ministro Eduardo Pazuello (Saúde) divulgou a um grupo de mais de 100 prefeitos nesta 5ª feira (14.jan.2021) o “Dia D” e a “Hora H” da vacinação contra a covid-19 no Brasil. A largada para a imunização será em 20 de janeiro, a partir das 10h, em todo o território nacional.

A informação foi confirmada pela FNP (Frente Nacional de Prefeitos) e por gestores locais que participaram do encontro virtual.

O presidente da FNP, Jonas Donizette, disse que a data anunciada pelo ministro depende de duas questões: “A 1ª é a aprovacão da Anvisa, no domingo, que nós temos esperança que seja positivo, estamos falando da AstraZeneca e da CoronaVac. [A 2ª é] a logística do voo. Se não for na 4ª, dia 20, [se houver] qualquer problema de logística, ficará para 5ª, dia 21”, disse a jornalistas no Ministério da Saúde.

Segundo Donizette, a previsão do governo é de vacinar 2 milhões de pessoas com a vacina da AstraZeneca/Oxford e 3 milhões com a CoronaVac.

Todas as cidades receberão as duas vacinas, não há hipótese de um município querer apenas uma. Todas as cidades receberão as duas vacinas. O ministério passou [o número de] 80 milhões de doses [até abril], com a expectativa de 40 milhões de brasileiros, por serem duas doses”, disse.

Ainda de acordo com Loureiro, 8 milhões de doses serão aplicadas em janeiro e 30 milhões em fevereiro. “Anvisa liberando domingo, distribuem na terça [19.jan] para iniciar na quarta [20.jan]”, publicou.

Voo da Índia

Enquanto a reunião entre o ministro e o grupo de prefeitos acontecia, o Ministério da Saúde divulgou que o avião da companhia aérea Azul que buscará 2 milhões de doses da vacina da AstraZeneca/Oxford contra a covid-19 começaria sua rota na Índia às 15h30 desta 5ª feira (14.jan), decolando do Aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP), com escala no Aeroporto de Guararapes, em Recife (PE).

Segundo a pasta, a partida da cidade pernambucana para Mumbai, na Índia, foi reprogramada em algumas horas por questões logísticas internacionais e continua seu plano de voo nesta 6ª feira (15.jan), às 23h.

“O imunizante da AstraZeneca/Oxford foi adquirido pelo Ministério da Saúde junto ao laboratório indiano Serum para garantir o início da vacinação dos brasileiros de forma simultânea e gratuita. A data de retorno do avião ao Brasil, com a carga de vacinas estimada em 15 toneladas, ainda está sendo avaliada de acordo com o andamento dos trâmites da operação de logística feita pelo Governo Federal em parceria com a Azul”, disse o ministério, em nota.

CoronaVac não atingiu 90% de eficácia em testes no Brasil, diz secretário da Saúde de SP

CoronaVac não atingiu 90% de eficácia em testes no Brasil, diz secretário da Saúde de SP

Reprodução

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, Jean Gorinchteyn, disse nesta quinta-feira (24) que a CoronaVac não atingiu 90% de eficácia em testes realizados no Brasil, diferentemente do anunciado pela Turquia.

“Não atingiu 90% (nos testes no Brasil), mas está em níveis que nos permitem fazer uma redução de impacto de doença na nossa população”, afirmou Gorinchteyn, citando que o percentual é superior ao mínimo de 50% recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

A taxa obtida no Brasil deveria ter sido divulgada na quarta-feira (23) pelo Instituto Butantan mas, segundo o instituto, o laboratório chinês Sinovac pediu adiamento do anúncio. A empresa quer analisar os dados dos testes para entender percentuais diferentes obtidos nos países onde o imunizante é testado.

Em entrevista a Rodrigo Bocardi, no programa Ponto Final, da CBN, Jean Gorinchteyn disse que, considerando a técnica usada no desenvolvimento da vacina, não havia expectativa de chegar a esse percentual. “Nós sabíamos que a efetividade jamais atingiria 90%”, disse Gorinchteyn.

O secretário justificou a expectativa citando que vacinas formuladas com fragmentos de vírus, os chamados vírus inativados, como é o caso da CoronaVac, acabam produzindo um percentual de defesa inferior ao daquelas que usam, por exemplo, a técnica chamada de vírus atenuado (veja especial sobre os tipos de vacinas).

“O que nós não imaginávamos é que a empresa (Sinovac) queria, e objetivava, uma unicidade, um resultado muito próximo em todos os países, e não somente em um ou outro país”, disse o secretário, justificando o adiamento da divulgação dos dados.

Dados preliminares na Turquia

Durante a entrevista, Gorinchteyn não explicou como a Turquia, usando a mesma vacina, chegou ao percentual de 91,25% de eficácia. Mas o secretário afirmou que é normal haver alguma diferença entre testes. “A gente não vai ter a mesma resposta para diferentes populações, porque são populações muito peculiares do ponto de vista genético, racial”, disse Gorinchteyn.

Procurado mais cedo pelo G1, o Instituto Butantan disse que “não comenta informações relativas a contratos da Sinovac com outros países”.

De acordo com as agências de notícias, os dados da Turquia são conclusões preliminares da fase 3 do estudo, que ainda está em andamento. O resultado considera 29 pessoas infectadas em um grupo menor de voluntários, sendo três casos entre os que tomaram a vacina e 26 no grupo placebo.

No Brasil, o Butantan já tinha verificado mais de 170 infectados até a metade de dezembro entre os seus 13 mil voluntários, o que aponta que o estudo brasileiro está em fase mais avançada. Ainda antes, em 23 de novembro, o Butantan já tinha alcançado o mínimo de infectados caso desejasse divulgar uma análise prévia equivalente a da Turquia.

No fim de novembro, já havia 74 casos de Covid-19 entre os 13 mil voluntários brasileiros. Apesar disso, na ocasião, os pesquisadores brasileiros não divulgaram os percentuais e preferiram aguardar a continuidade dos estudos para apresentar o resultado final em 23 de dezembro, plano que acabou adiado.

Apesar do adiamento na divulgação dos dados e, como consequência, no envio dos estudos para a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Gorinchteyn reafirmou que o governo paulista mantém a previsão de início da vacinação em 25 de janeiro.

Com Informações: https://g1.globo.com

Flávio Dino quer autorização do STF para comprar vacina sem aval da Anvisa

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou em sua conta no Twitter que pediu ao STF autorização para que os estados possam adiquirir diretamente do exterior vacinas sem aval da Anvisa, a agência de vigilância sanitária brasileira.

Segundo o comunista, o objetivo é que se possa fazer a aquisição de vacinas que já tenham recebido chancela de agências dos EUA, Japão, União Europeia e China – mas, na verdade, o governador maranhense negocia a compra da CoronaVac, da farmacêutica chinesa Sinovac.

É mais um jogada política na escalada de governadores contra o presidente Jair Bolsonaro.

No debate sobre a condução das medidas contra a crise sanitária, o STF já autorizou que os governantes estaduais tomassem todas as medidas, suprimindo responsabilidades da União.

Vejamos como se portarão os ministros agora.

Por Gilberto Léda

E o coronavírus sumiu de Codó?

Antes das eleições, todo dia a Secretaria Municipal de Saúde divulgava o Boletim Epidemiológico, monitorando os casos confirmados e suspeitos, mas com a chegada das eleições, nunca mais foi divulgado o boletim e nem nada.

Segundo informações de profissionais que trabalham na saúde, é que no HGM e nos postos de saúde toda hora chegam pacientes com sintomas do vírus, que provavelmente deve ter aumentado o número de pessoas infectadas após as grandes aglomerações da campanha nas eleições municipais.

Antes as autoridades eram as primeiras a mandar as pessoas ficarem em casa, já nas eleições, os mesmos convidavam pra sair de casa pra aglomeração de campanha.

A pergunta que fica no ar é, o coronavírus sumiu de Codó?

 

 

Enquanto o atual grupo realiza carnaval, 90 codoenses já morreram por Covid-19

Enquanto o atual grupo comandado pelo prefeito Francisco Nagib e seu candidato Zito Rolim vem fazendo carnaval fora de época, desafiando as autoridades de saúde, e mostrando que não tem um pingo de responsabilidade e nem compromisso com o povo, o número de óbitos aumentam em Codó.

Segundo o boletim epidemiológico, já são 90 mortes e 4.274 casos confirmados, tendo em vista, que a qualquer momento o mundo poderá sofrer uma segunda onda.

É muita irresponsabilidade com a população codoense.

SÃO LUÍS NA LISTA: Fiocruz vê tendência de aumento de casos de coronavírus em 10 capitais

Dados coletados pela Fiocruz apontam uma tendência de aumento com sinal moderado ou forte nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e coronavírus em dez capitais do País. Divulgada nesta sexta-feira, 30, a previsão é feita com base na semana entre 18 e 24 de outubro, quando a covid-19 está associada a 97,7% das novas infecções.

Casos de coronavírus começam a subir na Ilha de São Luís e no interior maranhense (Reprodução)

Em Aracaju, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Maceió e Salvador a tendência de infecção a longo prazo apresenta sinal forte, com probabilidade maior que 95%, para casos de coronavírus e SRAG. Já em Belém, São Luís e São Paulo a tendência de contágio é de sinal moderado (maior que 75%) a longo prazo, acompanhado de possível estabilização a curto prazo.

De acordo com o Boletim Infogripe, é a primeira vez que São Paulo registra sinal de crescimento na tendência de contágio desde que o total de infecções começou a cair na capital paulista, ainda em junho. Ao mesmo tempo, o relatório aponta que os municípios de Belém, Florianópolis, Fortaleza, João Pessoa, Macapá, Salvador e São Luís apresentam o sinal de aumento há pelo menos quatro semanas consecutivas.

A Fiocruz ainda aponta que a tendência nacional é de queda nos casos de SRAG e de covid-19, ainda que as ocorrências sejam “muito altas”. O relatório também mostra que em 12 das 27 unidades federativas há sinal de queda ou estabilização a longo prazo. Nos demais, há ao menos uma macrorregião estadual com tendência de curto e/ou longo prazo com sinal moderado ou forte de crescimento.

Os 15 Estados que não apresentam sinal de queda ou estabilização a longo prazo são Amapá, Pará, Tocantins, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Sergipe, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul. (Do Portal Terra)

Aumenta número de casos confirmados e mortes por Covid-19 em Codó

Como o Blog Agência Maranhão alertou, que nos próximos dias os casos confirmados e mortes poderiam crescer após tanta aglomeração de pessoas em eventos de campanha política realizado por candidatos e políticos que não tem um pingo de compromisso e responsabilidade com a saúde dos codoenses.

MAIS CASOS CONFIRMADOS E MAIS ÓBITOS

Agora já são 4.225 casos confirmados e 89 mortes, e enquanto isso, o atual grupo irresponsável e aproveitador vem fechando os olhos para o novo coronavírus e fazendo até carnaval em plena pandemia.

Primeiro caso de covid-19 em gato é registrado no Brasil

O caso alerta para o risco de contaminação entre humanos e animais

Gato fêmea infectada com covid-19. Foto: Reprodução.

Por: Walber Oliveira

primeiro caso de infecção do novo coronavírus em um animal no Brasil foi registrado nesta semana. Um gato fêmea com poucos meses de vida testou positivo para covid-19, o caso aconteceu em Cuiabá, Mato Grosso e alerta para o risco de contaminação entre humanos e animais.

Mesmo não apresentando sintomas da doença, o felino foi infectado por seus donos em outubro, durante o isolamento social. Além dela, outros dois casos suspeitos estão sob investigação, sendo de um outro gato e um cachorro.

A pesquisadora Valéria Dutra, professora da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal do Mato Grosso, foi a responsável pelo diagnóstico da gata, através do teste de biologia molecular RT- PCR, considerado um dos mais importantes para a detecção da doença.

O material foi enviado para a Universidade Federal do Paraná, onde há uma pesquisa sobre a covid-19 em animais de estimação. Um estudo feito na China aponta a possibilidade de contágio entre felinos, mas ainda há investigações sobre se há ou não facilidade no contágio entre os animais e humanos.

Com Informações do O Imparcial